António Passaporte

Ações disponíveis

Ações disponíveis ao leitor

Consultar no telemóvel

Código QR do registo

Partilhar

 

António Passaporte

Detalhes do registo

Informação não tratada arquivisticamente.

Nível de descrição

Subcoleção   Subcoleção

Código de referência

PT/AMMRA/FEF-AP

Tipo de título

Formal

Título

António Passaporte

Datas de produção

1952  a  1962 

Dimensão e suporte

29 exemplares em suporte papel provenientes de duas coleções distintas.

História administrativa/biográfica/familiar

António Pedro Passaporte nasceu em 24 de Fevereiro de 1901, filho do fotógrafo José Pedro Braga Passaporte, natural de Évora. Aqui permaneceu até 1911, altura da partida com seu pai para Angola, onde se terá iniciado na arte da fotografia. Em 1924 partiu para Madrid onde iniciou a carreira de fotógrafo, trabalhando nos Laboratórios Cinematográficos Madrid-Films, onde veio a casar com a irmã do patrão, Gregória Ascensión Calleja Blanco, em 1927. Mais tarde foi trabalhar para na firma francesa Charles Alberty, como vendedor de papéis fotográficos e heliográficos o que lhe permitiu viajar por toda a Espanha e Argentina, registando fotografias de paisagens e monumentos, adquiridas posteriormente pelo Ministério da Cultura e Turismo Espanhol para propaganda turística. Durante a Guerra Civil de Espanha ingressou nas Brigadas Internacionais como repórter fotográfico, mas em 1939, temendo represálias do regime franquista, regressou a Portugal, para fixar residência em Lisboa, onde iniciou, com o apoio de amigos, a sua atividade de fotógrafo, aceitando, sobretudo, encomendas publicitárias. Inicialmente instalou-se na Rua Padre Sena Freitas, n.º 14, r/c direito, em 1940, quando iniciou a produção de bilhetes-postais ilustrados transitou para a Rua do Desterro, n.º 35, 4.º esquerdo. Na edição de bilhetes-postais ilustrados, assinava como Loty, designação que resultava da combinação das duas primeiras letras do nome Lopez e das duas últimas do nome Alberty, apelidos do casal para quem trabalhou em Espanha. Em 1945 mudou-se para a Avenida António Augusto de Aguiar, n.º 4, 1.º direito e em 1946 para a Rua Luciano Cordeiro, n.º 88, onde montou o estúdio que manteve até ao final da vida.A extrema exigência com a qualidade final dos bilhetes-postais cedo se traduziriam num afluxo de encomendas, pelo que António Passaporte fotografava habitualmente ao fim de semana, percorrendo todo o país num carro, acompanhado da família. A sua última reportagem completa de uma cidade decorreria na Covilhã, no inverno de 1961. Desde então, limitou-se a fotografar os palácios nacionais, uma vez que a qualidade técnica da sua marca lhe permitira obter autorização para fotografar o seu interior e o exclusivo da venda de bilhetes-postais ilustrados dos mesmos. Não conseguindo fazer face à concorrência, pois não concordava com as descida de preço dos bilhetes postais, retirou-se da fotografia em 1965, dedicando-se, a partir daí, a escrever as suas memórias e a investigar a história da sua família. Para Moura editou em 1952 uma coleção fechada de 36 postais a preto e branco reeditada em 1954 e outra em 1962, para além destas coleções produziu ainda outros trabalhos ao serviço da Comissão Municipal de Turismo do Concelho de Moura com a qual colaborou durante dez anos.Faleceu em Lisboa no ano de 1983.Nota ao campo História Administrativa/biográfica/Familiar:História Administrativa/biográfica/Familiar elaborada por José Francisco Finha (CMMRA) com recurso às seguintes fontes e bibliografia:- Actas da Comissão Municipal de Turismo;- Jornal de Moura, anos de 1950 a 1960; - Livro de autorização de pagamentos - Comissão Municipal de Turismo do Concelho de Moura - 1942 a 1957;- Livro de registo/ ordem de pagamento - Comissão Municipal de Turismo do Concelho de Moura 1958 a 1962- ALMEIDA, Carmen - JOSÉ P. B. PASSAPORTE E ANTÓNIO PASSAPORTE (LOTY), Dois fotógrafos de Évora. Câmara Municipal de Évora, Évora, 2000.

Localidade

Funções, ocupações e atividades

Fotografo

Âmbito e conteúdo

Sub Coleção constituída por imagens com vistas panorâmicas, espaços públicos, locais e monumentos de Moura.

Sistema de organização

Organizada pela ordem numérica atribuída pelo produtor.

Características físicas e requisitos técnicos

Exemplares em bom estado de conservação. Apenas um apresenta os cantos perfurados.

Instrumentos de pesquisa

Pesquisa disponível no sitio Web do Arquivo Municipal de Moura e no Portal Português dos Arquivos.

Nº visualizações

823

Data de publicação

17/06/2021 13:24:15